|  Por Justiça Global

Defensora comunitária Elvia Cuadros ganha prêmio nacional na Colômbia

Há dez anos acompanhando as comunidades indígenas da Serra Nevada de Santa Marta, na Colômbia, a defensora comunitária Elvia Cuadros teve seu trabalho reconhecido com a entrega do Prêmio Nacional de Defesa dos Direitos Humanos na Colômbia, concedido em 9 de setembro. Tais comunidades enfrentam problemas relativos a megaprojetos de exploração turística, mineira, energética, portuária e agroindustrial. Elvia trabalha para apoiar e garantir os direitos de povos indígenas que nunca receberam a presença da institucionalidade. O acesso a muitos destes lugares tem que ser por meio de 10 a 12 horas de caminhada ou em mula.

Na defesa de sua causa, Elvia já enfrentou ameaças, como no dia 11 de maio de 2013, quando sua casa estremeceu por conta de um atentado de granada, que felizmente não causou vítimas fatais, apenas sérios danos a seu imóvel. De janeiro a junho de 2013, 37 defensores de direitos humanos foran assassinados no país.

O prêmio concedido a ela faz parte da campanha “Não mais impunidade na Colômbia”, uma iniciativa da Plataforma de Agências Internacionais na Colômbia (DIAL). A campanha é coordenada pela Project Counselling Services (PCS), uma organização internacional de incidência e acompanhamento que atua desde 1979 na defesa e promoção dos direitos humanos e da justiça social na América Latina. A campanha busca reconhecer o trabalho de funcionários do Estado colombiano que terminam se tornando alvos de ataque devido ao apoio que dão às vítimas de casos emblemáticos de violações de direitos humanos no país. O prêmio contou com um jurado de 13 pessoas externas às agências, que selecionaram alguns ganhadores entre 48 nominados. Os ganhadores receberam uma obra do mestre indigenas camentsa Wiliam Chicunque.