|  Por gustavo mehl

Organizações pedem que Governo condene violações no Egito

As organizações da sociedade civil brasileira que assinam essa nota deploram as atuais violações aos direitos humanos no Egito e pedem que o governo brasileiro não poupe esforços para reverter o quadro atual.

Preocupam-nos o uso da força em reação aos protestos, as detenções arbitrárias e o cerceamento às liberdades de associação e expressão. Essas incluem invasões pelo governo de sedes de organizações de direitos humanos e prisão de seus integrantes, além da repressão ao trabalho da mídia nacional e estrangeira.

Tomamos conhecimento dos posicionamentos do Ministério das Relações Exteriores, especialmente da nota à imprensa divulgada em 3 de feveireiro (Nº 43) deplorando os confrontos violentos associados aos últimos desdobramentos da crise, em particular os atos de hostilidade à imprensa.

No entanto, solicitamos ao governo brasileiro que condene explicitamente as violações cometidas pelo governo egípcio e denuncie de forma veemente as violações aos direitos humanos no país.

Acreditamos que tais esforços devem ser empreendidos bilateral e multilateralmente, tanto no âmbito Conselho de Segurança da ONU, que está sob presidência brasileira, como no Conselho de Direitos Humanos, do qual o Brasil é membro.

Tememos a deterioração da situação atual e esperamos que o Brasil defenda os direitos humanos universalmente.

4 de Fevereiro de 2011

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bisexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT)

Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA)

Centro Brasileiro de Apoio aos Povos em Luta pela Paz (Cebrapaz)

Coletivo de Entidades Negras (CEN)

Comissão Teotônio Vilela de Direitos Humanos (CTV)

Comunidade Bahá’í do Brasil

Conectas Direitos Humanos

Conselho Nacional de Mulheres Indigenas (CONAMI)

Fala Preta Organização de Mulheres Negras

Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos (IDDH)

Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC)

Justiça Global

Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH)

Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV/USP)