Início do projeto Minas-Rio é aprovado por conselheiros mudos

Home News and analyses Início do projeto Minas-Rio é aprovado por conselheiros mudos
Após 11 horas de reunião do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) em Diamantina, Minas Gerais, a licença de operação para dar início ao projeto Minas-Rio, da britânica Anglo American, foi liberada. Apesar disso, várias condicionantes que se arrastam desde a licença prévia não foram cumpridas, justificando os quatro votos contra, entre eles o do Ministério Público Estadual.
Dos quase 20 conselheiros, a maioria sequer se pronunciou, já que, para votar em favor da liberação da licença, não era necessária qualquer justificativa. Mas os conselheiros que votaram contra tiveram que justificar a sua opção, e citaram a mortandade de animais pela contaminação dos rios e o desabastecimento de água para as famílias atingidas.
O maior projeto de mineração em instalação em Minas Gerais foi então aprovado por conselheiros que não falam, sob a supervisão do secretário de Meio de Ambiente de Minas Gerais, Alceu Torres, e da diretoria da Anglo American. Com uma licença ambiental para inglês ver, o silêncio autorizou a empresa a continuar a poluir.
Reunião do Copam em Diamantina. Foto: Renato Cosentino

Após 11 horas de reunião do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) em Diamantina, Minas Gerais, a licença de operação para dar início ao projeto Minas-Rio, da britânica Anglo American, foi liberada. Apesar disso, várias condicionantes que se arrastam desde a licença prévia não foram cumpridas, justificando os quatro votos contra, entre eles o do Ministério Público Estadual.

Dos quase 20 conselheiros, a maioria sequer se pronunciou, já que, para votar em favor da liberação da licença, não era necessária qualquer justificativa. Mas os conselheiros que votaram contra tiveram que justificar a sua opção, e citaram a mortandade de animais pela contaminação dos rios e o desabastecimento de água para as famílias atingidas.

O maior projeto de mineração em instalação em Minas Gerais foi então aprovado por conselheiros que não falam, sob a supervisão do secretário de Meio de Ambiente de Minas Gerais, Alceu Torres, e da diretoria da Anglo American. Com uma licença ambiental para inglês ver, o silêncio autorizou a empresa a continuar a poluir.

Saiba mais sobre o processo de licenciamento do projeto Minas-Rio.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *