As vésperas da Copa, time de ameaçados lança campanha por direitos no Brasil

Home News and analyses As vésperas da Copa, time de ameaçados lança campanha por (...)

Linha de Frente

Onze pessoas que colocam suas vidas em risco e são criminalizadas por defender direitos fundamentais. Essa é a seleção da campanha Linha de Frente: Defensores de Direitos Humanos, que vai ser lançada na próxima terça (10), às 10h, em coletiva de imprensa, e a partir das 18h, em atividade cultural, em São Paulo (detalhes abaixo). O objetivo das organizações Justiça Global, Terra de Direitos e Front Line Defenders, que promovem a iniciativa, é sensibilizar a opinião pública a respeito das sistemáticas violações de direitos no país do futebol.

Se por um lado o Brasil é signatário de diversos tratados e convenções internacionais de Direitos Humanos, isso não corresponde à dura realidade de ameaças sofridas pelos que lutam por direitos individuais, políticos, sociais, econômicos, culturais e ambientais no país. Ao invés de serem reconhecidos por promoverem avanços na democracia e terem sua luta garantida pelo Estado Brasileiro, os defensores são perseguidos e criminalizados por empresas e pelo próprio Estado.

Quem são eles? Conheça os casos.

A campanha aborda onze casos de defensores e defensoras de direitos humanos, recuperando a luta política que perpassa as suas vidas e de suas comunidades. Originários de diversas partes do território nacional, eles têm trajetórias de enfrentamento em diferentes temas. As recentes violações em nome da realização de megaeventos no país são relatadas e vivenciadas por Vitor Lira, do Rio de Janeiro. A mãe de maio Débora Silva, de São Paulo, relembra a força e a luta das vítimas de violência policial nas periferias urbanas das cidades brasileiras. As dificuldades e enfrentamentos da luta LGBTT são trazidas à tona por Indianara Siqueira, do Rio de Janeiro, e Márcio Marins, do Paraná.

Já a militância do povo Tupinambá pelo reconhecimento de sua identidade indígena e de seu território é narrada a partir da história do Cacique Babau, da Bahia. A resistência quilombola na luta pelo respeito ao território e à herança africana são representadas por Rosivaldo Correia, do Pará, e Rosemeire Santos Silva, da Bahia. Do Mato Grosso do Sul vem a luta Guarani-Kaoiwá pela demarcação de seus territórios, representada na figura do Cacique Ládio Veron. A vulneração dos modos de vida tradicionais de pescadores e ribeirinhos ecoam nas histórias de João do Cumbe, do Ceará. Já os conflitos agrários e as violações de direitos sistematicamente vivenciados no campo são contados através dos relatos de Laísa Santos Sampaio e Osvalinda Pereira, do Pará.

Mais informações:

Coletiva de Imprensa com os defensores Cacique Babau, Débora Silva, Rosemeire Santos Silva, Cacique Ládio Veron, Márcio Marins e Indianara Siqueira.

Quando: Terça, dia 10 de junho, às 10h
Onde: Av. Paulista 575 – 19º andar (Auditório da Conectas)

A partir das 18h, haverá bate-papo com defensores e exposição de fotos e vídeos que contam as suas vidas produzidos pela Mídia Ninja, além de atividades culturais e uma apresentação do artista Curumim. As atividades acontecerão no Centro Cultural Jongo Reverendo.

Quando: Terça, dia 10 de junho, a partir das 18h
Onde: Rua Inácio Pereira da Rocha, 170 – Vila Madalena (Centro Cultural Jongo Reverendo)

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *