|  Justiça Global

Edital aberto para Secretaria Operativa do Comitê Brasileiro de Defensoras/es de Direitos Humanos

logo comitê ddh

A Justiça Global abre edital de seleção para contratação de profissional na área de ciências humanas para atuar na Secretaria Operativa do Comitê Brasileiro de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos.

Quem somos:
O Comitê Brasileiro de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos (CBDDH) é uma articulação composta por 42 (1) organizações e movimentos da sociedade civil que desde 2004 atua na proteção a defensoras e defensores de direitos humanos em situações de risco, ameaça, ataque e/ou criminalização em decorrência de sua militância. O CBDDH produz avaliações e recomendações sobre o Programa de Proteção dos Defensores de Direitos Humanos (PPDDH), acompanha casos emblemáticos de violações cometidas contra DDHs, realiza e participa de atividades de formação voltadas ao fortalecimento da luta das/os DDHs, realiza e organiza missões in loco, opera fundo emergencial, entre outras atividades.

Função:
Secretaria Operativa do Comitê Brasileiro de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos.
Carga horária: 40 horas por semana

*Os serviços deverão ser prestados no Rio de Janeiro, no escritório da Justiça Global. Excepcionalmente, em decorrênciada pandemia Covid-19, estamos trabahando na modalidade homeoffice/trabalho remoto, até nova orientação.

Resumo das Atividades:
– Articular politicamente e garantir a comunicação interna das organizações do CBDDH bem como redes e organizações parceiras;
– Assessorar tecnicamente e politicamente o CBDDH no exercício de suas ações;
– Implementar e executar as ações definidas pelo encontro nacional do CBDDH em conjunto com o Grupo Animador e os Grupos de Trabalho;
– Interlocução com movimentos sociais, populares e organizações não governamentais;
– Elaborar textos, pesquisas, relatórios, em assuntos que envolvam violações de direitos humanos
– Levantar e sistematizar informações e documentos dos casos de violações de direitos humanos contra defensoras e defensores de direitos humanos;
– Encaminhar denúncias aos mecanismos nacionais e internacionais de proteção dos direitos humanos;
– Apoiar assessoria de comunicação
– Apoiar o Grupo Animador na elaboração de projetos para captação de recursos
– Elaborar prestações de contas, relatórios narrativo e financeiro dos projetos do CBDDH, quando solicitado
– Viabilizar estrutura logística das atividades e ações do CBDDH;
– Desenvolver outras atividades correlatas;

Requisitos e habilidades:
– Formação: nível superior em ciências humanas;
– Experiência na área de promoção e proteção dos direitos humanos;
– Experiência em atuação com movimentos sociais e/ou organizações da sociedade civil;
– Conhecimento relacionados aos temas do CBDDH como defensoras e defensores de direitos humanos, Direitos Humanos e etc;
– Capacidade para trabalhar em equipe;
– Capacidade para organizar viagens, seminários e reuniões nacionais e internacionais;
– Capacidade para organizar oficinas de formação;
– Sensibilidade para lidar com pessoas em situação pós-traumática;
– Disponibilidade para viagem;
– Disponibilidade para trabalhar em horários flexíveis;
– Domínio da língua portuguesa, capacidade de síntese e comunicação;
– Domínio de Inglês e/ou espanhol será desejável;
– Disponibilidade em executar tarefas mais amplas do que as descritas, quando necessário;
– Respeitar prazos;
– Visão estratégica.

Remuneração:
Carga Horária: 40h semanais
Forma de contratação: CLT
Remuneração: Compatível com a descrição das atribuições

Período:
2 anos / Período de vigência do projeto.

Critérios de seleção:
Experiência profissional;
Experiência de atuação junto aos movimentos sociais;
Experiencia de atuação na temática de defensoras e defensores de direito humanos;
A Justiça Global adota ações afirmativas raciais em suas seleções, indique, por favor, em sua candidatura se você é beneficiária/o;
Disponibilidade imediata.

Inscrições:

As candidaturas devem ser encaminhadas entre 09 e 18 de de setembro de 2020, através do E- MAIL:contato@global.org.brASSUNTO:“ProcessodeseleçãoCBDDH– Secretaria Operativa”,coma seguinte documentação:
a) currículo
b) carta de apresentação de até uma lauda, demonstrando sua condição para assumir aposição
c) apresentação de duas referências para serem contatadas pela equipe de seleção, casonecessário.

Entrevistas: 28 e 29 de setembro de 2020

Resultado Final: Até 5 de outubro de 2020

(1) Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos – ABGLT, ARTIGO 19, Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais no Estado da Bahia – AATR, Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente – Amencar, Brigadas Populares, Central de Movimentos Populares, Centro de Defesa de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno – ES, Centro de Defesa de Direitos Humanos Gaspar Garcia – SP, Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra – ES, Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis, Centro de Direitos Humanos da Diocese de Nova Iguaçu, Centro de Direitos Humanos de Sapopemba, Centro de Estudos dos Negros e Negras do Pará – CEDENPA, Centro Feminista de Estudos e Assessoria – Cfemea, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura – Contag, Coletivo Margarida Alves de Assessoria Popular – MG, Coletivo Feminino Plural – RS, Comissão Pastoral da Terra – CPT, Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno, Conselho Indigenista Missionário – CIMI, Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas – CONAQ, Coturno de Vênus – Associação Lésbica Feminista de Brasília, Criola, Fórum Grita Baixada, Grupo Tortura Nunca Mais – BA, Grupo Conexão G de Cidadania LGBT de Favelas, Grupo de Mulheres Brasileiras, Iniciativa Direito à Memória e Justiça Racial / Baixada Fluminense-RJ, Instituto de Direitos Humanos – MG, Justiça Global, Lajusa – Laboratório de Justiça Global e Educação em Direitos Humanos na Amazônia, Levante Popular da Juventude, Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB, MovimentoCamponês Popular – MCP, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, Movimento Nacional de Direitos Humanos, Organização de Seringueiros de Rondônia – OSR, Organização de Povo Apurinã e Jamamadi do Sul do Amazonas – OPIAJBAM, Rede Justiça Nos Trilhos, Sociedade Maranhense de Direitos Humanos – SMDH, Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos – SDDH, Terra de Direitos.