|  Por camila

Marielle Franco e a luta por direitos humanos no Brasil

Há três anos, muitas de nossas companheiras e companheiros recebiam uma das mais dolorosas notícias de 2018: o assassinato de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. De lá até aqui muitas lágrimas, sofrimento, e principalmente muita luta. O projeto era apagar a vida e a história de Marielle, uma mulher negra, feminista, homossexual, favelada e defensora de direitos humanos. Mas não contavam com a sua força e a repercussão de Marielle Franco dentro e fora do Brasil. Marielle tornou-se semente. Seus ideais são parte da luta por justiça e igualdade; seus projetos sociais e políticos fortalecem a democracia e fomentam a eleição de mulheres a cargos públicos. Segundo o jornal americano “The Washington Post”, em matéria de capa publicada em 2018, Marielle Franco virou “símbolo global”. Para nós, é a representação da luta por direitos humanos.

 

Foto: Mídia Ninja

Foto: Mídia Ninja

 

Protestos, manifestações, missas… As medidas de restrição e isolamento social para conter o avanço da Pandemia da Covid-19 nos impossibilita de, neste ano, continuarmos os atos de rua exigindo justiça, afinal são três anos sem resposta. Em celebração ao seu legado, neste 14 de março, ressaltamos o nosso apoio e apoio à amigas, amigos e familiares que caminham lado a lado com os ideais de Marielle Franco e reafirmamos o nosso compromisso na luta por justiça pelas vidas de Marielle e Anderson. 

 

Marielle Franco, PRESENTE! 

Anderson Gomes, PRESENTE!