|  Por plataforma dhesca

Missão especial analisa situação de violência policial no Rio de Janeiro

Plataforma DHESCA, que reúne 40 organizações, visitará Complexo do Alemão
Documento final será usado para incidência em espaços nacionais e internacionais

fb_missaoalemaoA violência policial na cidade do Rio de Janeiro foi tema da missão da Plataforma DHESCA Brasil, de 9 a 12 de setembro. A plataforma é uma rede formada por 40 organizações da sociedade civil, que promovem direitos humanos, econômicos, sociais, culturais e ambientais. A proposta foi visitar as favelas do Complexo do Alemão e se reunir com ativistas, movimentos, mães e familiares de vítimas do Estado para a produção do relatório sobre o Impacto das Políticas Econômicas nos Direitos Humanos no Brasil, que tem por objetivo evidenciar as consequências das políticas econômicas de austeridade adotadas pelo Brasil a partir de 2014 em diversas áreas, como a de segurança pública.

Na missão no Rio de Janeiro, o relator da Plataforma, Orlando Junior, abordou questões como a suspensão de aulas em decorrência de ações policiais e o caso específico de Rafael Braga, única pessoa presa dentro do contexto dos protestos de 2013 que ainda continua na cadeia. A história de Rafael possui uma série de elementos emblemáticos que evidenciam o racismo entranhado no sistema de justiça criminal. A relação da falência desse modelo de segurança pública com a crise imposta ao povo pela administração pública estará no enfoque.

Além da missão no Rio, a Plataforma DHESCA realizou mais outras quatro missões: os conflitos no campo e o desmantelamento da política de reforma agrária, em Goiás, Pará e Mato Grosso; a situação dos povos indígenas e da Funai, no Maranhão e no Pará; a população em situação de rua e as políticas públicas para ela, em São Paulo e Paraná; e a tríplice epidemia, tratando da falta de assistência  às mulheres e mães de crianças com microcefalia, relacionada ao desmonte do SUS e do Plano Nacional de Saneamento Básico, em Pernambuco. O relatório final vai conter recomendações ao governo federal, assim como também será usado para incidência política, em espaços nacionais e internacionais.