|  Por Glaucia Marinho

Pesquisa revela que a cada 13 dias ocorre um caso de ataque à vida contra representantes de cargos eletivos, candidatos/as ou pré-candidatos/as no Brasil

Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará, Maranhão e Pará são os estados que registram mais casos de violência política.
Lançamento da pesquisa acontece nesta segunda-feira (28), às 19h, em evento virtual.

lançamento relatório violencia politica

 

Um estudo elaborado pela Terra de Direitos e a Justiça Global revela que a cada 13 dias é registrado pelo menos um caso de ataque à vida contra representantes de cargos eletivos, candidatos ou pré-candidatos no Brasil. Em 63% das investigações em curso não foram identificados suspeitos dos crimes. Esses dados são do relatório “Violência Política e Eleitoral no Brasil – Panorama das violações de direitos humanos de 2016 a 2020”, que será lançado nesta segunda-feira (28), às 19h, em evento online, com a participação de Anielle Franco, do Instituto Marielle Franco; Nilma Lino Gomes, professora emérita da UFMG e ex- ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir); Élida Lauris, da Terra de Direitos; Maurício Hashizume, sociólogo e jornalista; e Sandra Carvalho, da Justiça Global.

A pesquisa mapeou 327 casos de violência política ocorridos entre 1º janeiro de 2016 e 1º de setembro de 2020. Foram registrados 125 assassinatos e atentados, 85 ameaças, 33 agressões, 59 ofensas, 21 invasões e 4 casos de criminalização. O Rio de Janeiro foi o estado que registrou o maior número de assassinatos e atentados, 18 no total. Minas Gerais, Ceará, Maranhão e Pará dividem o 2º lugar no ranking com 11 casos em cada estado. 91% das vítimas são vereadores, prefeitos ou vice-prefeitos (pré-candidatos, candidatos ou eleitos).

Foi possível identificar também um acirramento dos casos de agressões motivadas por violência política após as eleições de 2018. Em 2017, foram registrados 3 situações; 2018, 11 casos e 12 em 2019. No ano passado ocorreu pelo menos um episódio de violência política a cada três dias no Brasil.

Sobre as mulheres, o estudo constatou também que a violência política dirigida a elas tem outros contornos, como o não reconhecimento como uma agente política. As mulheres foram vítimas de 76% dos casos registrados de ofensas

O lançamento será transmitido nos canais do youtube da Terra de Direitos e da Justiça Global.